Arquivo da tag: Viagem

Final de semana em Montevidéu

DSC_0036.JPG

Estava precisando refrescar a cabeça depois de um mês de novembro bem agitado. Resolvi dar uma escapada para a cidade de Montevidéu-Uruguai.

Adoro estas escapadas rápidas e sem compromisso e muitas vezes sem um planejamento mais profundo, uma das coisas que eu fiz foi solicitar ao concierge do cartão American Express The Platinun para me ajudar a organizar a viagem, algumas dicas valeram a pena e outras, nem tanto.

Saímos de Curitiba na sexta a tarde e chegamos em MVD, no hotel Sofitel da rede Accor na noite da sexta mesma (a cidade não tem horário de verão), para informações do hotel clique aqui e para minhas impressões sobre o hotel, acesse a minha opinião no site do TripAdvisor. O hotel é maravilhoso, mas não se compara ao Sofitel de Cartagena (que eu falei neste post).

Uma das dicas do Concierge que eu adorei foi o restaurante Francis, localizado no bairro Carrasco, perto do hotel, agora o que eu realmente não recomendo é a visita ao Restaurante e Bar Tabaré (sempre li coisas muito interessante e dicas boas deste ar, mas minha experiência foi frustrante).

Montevidéu é aquela cidade que se come bem, as pessoas te recebem de forma atenciosas e você sempre quer voltar lá. Fica a dica para quem quiser conhecer a cidade. As fotos estão no meu Flickr para quem quiser conhecer um pouco mais.

Semana que vem tem Europa, então continuarei a preparar meu roteiro.

Anúncios

Férias: 1o dias CWB – PTY com uma escala no México

Cheguei ao Panamá cansado, 24h depois de sair de casa. Uma pequena escala no México que expliquei no post anterior. Cheguei no hotel às 21h – horário local, tomei um bom banho e ainda estou na cama decidindo o que fazer, aqui são 8h da manhã, no Brasil 3h a mais.
A viagem foi ótima, a TAM no voo CWB-MEX cumpriu o que promete porem o terminal 3 em Guarulhos ficou longe, se a conexão internacional for apertada vc acaba perdendo o voo. Imigração lenta na saída. Freeshop lotado e não deu tempo de jantar. Mas o serviço de bordo foi bem honesto.
Chegando no México às 5h30 da manhã pontualmente. Fui direto para a fila de imigração que durou 1h quase. Depois mudei de terminal pois a Copa opera no terminal 2 do aeroporto. Chegando l 7h da manhã e meu voo era às 13h e tinha decidido pedir pra antecipar pro voo das 10h, nem que pagasse uma pequena taxa. Acontece que eu fui sorteado para ganhar este trecho em classe executiva e se antecipasse eu não teria este direito, pensei muito e resolvi manter tudo do jeito que tinha planejado antes.passando a manhã na sala VIP, neste caso, sala da aeromexico que é compartilhada pela copa. Um café da manhã típico mexicano com burritos, mufins com ovos e queijadillas. Além de café, sucos, frutas e iogurtes. Tudo muito bom, sofá confortável, internet, TV e jornal. Valeu a pena. Depois embarquei para o Panamá, normal, como se fosse um voo local. Cheguei aqui, um táxi com o preço de 30 dólares me trouxe ao Novotel. Tomei um banho e dormi cedo, que implicar em acordar de madrugada, pois ainda estou no horário do Brasil. Depois conto as aventuras aqui, vou ao Canal do Panamá, pois desde a época das aulas de Geografia do Ensino Fundamental eu sempre quis conhecer (há mais de 20 anos).

Pré-viagem: preparativos

A partir de amanhã (segunda 17,11) estou oficialmente de férias e como faço todos os anos pretendo tirar uns dias fora do Brasil.

B1osoRQIIAA7z8w

Meu roteiro, não sei se por falta de criatividade, mas admito que teve muita influência da Copa do Mundo de futebol, vai incluir:  México, Panamá e Costa Rica, já explico como cheguei a esta mistura.

Meu desejo inicial era Costa Rica, país com maior índice de felicidade, que inclui além de fatores econômicos, também o impacto ou pegada ecológica deixada por cada um no mundo. Assim, dizem que a Costa Rica tem as maiores reservas ambientais. Descobri que para chegar até a costa Rica não era nada fácil, não há voos diretos do Brasil e as companhias que fazem para lá saem dos EUA (não tenho visto), do México (via Aeroméxico) ou do Panamá (via Copa Airlines).

Percebi que ir pela Copa Airlines é bem mais barato em qualquer lugar que vc esteja, só que os voos da Copa sempre passam pelo chamado Hub das Américas que fica no Aeroporto da Cidade do Panamá. A copa tem uma promoção legal, vc pode comprar multitrechos ficando alguns dias no Panamá pelo mesmo preço que seria um voo com a conexão de 4 a 12h, ou seja, no meu caso, trata-se de um bilhete único com uma conexão de 4 dias no Panamá.

Há uma previsão de ter voos da Copa Air saindo do aeroporto de Curitiba, mas por enquanto só de Porto Alegre, Guarulhos, Manaus, e Brasília, com preços bem convidativos. Mas vc deve estar se perguntando e o México?

Bem, quando comecei a pesquisar os voos veio uma mega promoção da TAM, em que trecho ida e volta CWB-MEX saiu por 30 mil milhas, eu tinha mais do que isso e resolvi trocar, depois que pesquisei que o voo da Copa saindo da cidade do México era muito mais barato que o saindo do Brasil.

Então minha escala de viagem ficou:

dia 18/11 – 19h50 – CWB-MEX , com a TAM chegando no dia 19/11 às 05:25 no Aeroporto do México.

19/11 – 17:11 – MEX – PTY, com a Copa, chegando neste mesmo dia às 20:53 no Panamá.

22/11- 18h25 – PTY-SJO, com a Copa, Chegando em San José na Costa Rica às 19h46.

24/11-19h21 – SJO-MEX, com a Copa novamente, chegando no México às 22h53

25/11-22h10 – MEX-OAX, com a Aeroméxico, chegando na cidade de Oaxaca às 23h20.

29/11-12h50-OAX-MEX, com a Aeroméxico, chegando na capital às 14h09.

04/12-20h35-MEX-CWB, chegando no dia 05 às 10h da manhã.

Será um roteiro de muitos voos, muitas coisas para serem feitas, vários hotéis, dias que eu planejei apenas para dormir. Terminei na Cidade do México, porque é o local que eu já conheço, estarei mais cansado, assim, se um dia eu não fizer nada, sei que não ficarei triste.

Estou, no momento pesquisando coisas para se fazer no Panamá, pois não tenho um guia impresso e assim a internet é a grande aliada, relatos de pessoas que já foram e o site do TripAdvisor ajuda muito. Manterei o Blog atualizado nos próximos dias contando como está sendo minha aventura e fotos no Flickr e algumas impressões postadas no twitter (@jailsonrp). Se algué tiver alguma dica, já sabe, mande um whatsapp, ou então comenta aqui, ou via redes sociais.

Preparando as férias

Acordei inspirado hoje, inspirado para pensar em férias…

Estou na primeira fase, escolha do destino, com isso tantos nomes vêm a cabeça: México, Espanha, Inglaterra, Irlanda, Portugal, Holanda, Nova Iorque (não quero outros lugares dos Estados Unidos), Austrália… enfim, estou lendo, inspirando-me para decidir.

Esta decisão passa por vários fatores: Preço da passagem área, moeda local (dólar, euro, pesos etc.) e opções culturais. Em cada local, penso onde comeria, o que faria, quais são as opções noturnas e quantos museus eu aproveitaria para conhecer.

Em maio terei minha decisão tomada e já começarei a pensarem detalhes do planejamento, uma coisa já sei, serão em novembro.

Peru – 5º dia: Deslocamentos e atrasos

Planejei minha ida de Cusco a Lima no final da manhã para que não precisássemos acordar cedo e, ainda, pudéssemos curtir a tarde em Lima, o que não ocorreu. Nosso voo que era às 11h30, sai com 3h de atraso e chegamos no hotel às 16h, até fazer check inn, trocar de roupa e ir almoçar, perdemos o dia.

Para o deslocamento interno no Peru escolhemos uma companhia regional chamada de Peruviana, sendo a ida e volta de Cusco por 150 dólares com a s taxas já. A tradicional LAN cobra quase o dobro disso, intermediária entre as duas tem a Star Peru, que às vezes tem umas promoções boas. A Peruviana tem umas aeronaves bem antigas, que parece que vai cair alguma coisa dentro, mas tem um serviço de bordo simples mas eficiente. 

Nosso almoço/jantar foi no Mangos do Shopping Larcomar, escolhido por três motivos: vista excelente, cardápio variado e wi-fi grátis, aliás, esta última é uma condição para escolha de muitos restaurantes e bares quando eu estou viajando, como não habilito a internet para uso no exterior, fico dependente da rede sem fio, mas muitos lugares têm e dá para sobreviver bem tranquilo com as opções, desde que a internet do hotel seja boa.

Peru – 4º dia: Machu Picchu

Machu Picchu by jailsonrp
Machu Picchu, a photo by jailsonrp on Flickr.

Também chamada de a cidade sagrada dos Incas, Machu Picchu fica perto da cidade de Águas Calientes, no Peru.
Algumas pessoas dormem nesta cidade antes de subir, mas eu fiz um bate e volta de Cusco. Saímos às 4h30 da manhã do hotel, com um táxi esperando a gente para levar até Ollantaytambo e lá pegamos um trem que leva 2h até Águas Calientes depois mais um ônibus que leva 25 minutos até o topo da montanha.
A visita leva no mínimo 2h30 e tem ônibus subindo e descendo a todo instante.
Eu contratei um passeio com uma agência, mas não é preciso. Sugiro contratar apenas se você vai em alta temporada, pois só é permitida a entrada de 2500 pessoas por dia e, acredite, tem semanas que ficam lotadas em junho, julho e agosto.
Eu não me preocupei com nada, mas não recomendo a minha agência, atendimento horrível, falta de informação e, ainda, sou daqueles que gostam de planejar cada detalhe das férias.
Então se você quer uma dica de como ir: pegue o trem em Cusco ou em Puno que é mais perto, o trem sai bem mais caro de lá, mas você curte mais o passeio, para comprar a passagem de trem acesse a Rail Peru, tem para todos os gostos e bolsos.
A subida dá para comprar o ônibus na hora, o máximo é esperar uns 20 min, mas mesmo assim compensa e, comprar a entrada do parque por internet e encomendar de uma agência autorizada ou comprar direto pela internet no site oficial, no site oficial tem a indicação de quais são as agências autorizadas, cuidado porque há muita falsificação de ingressos. Dizem que para comprar direto do Brasil só aceitam cartões visa do Bradesco e do Banco do Brasil, não tentei para ver.
E minhas impressões sobre o parque: Eu esperava mais, acho que a guia explorou pouco o lugar, ele é muito cheio, tudo é muito caro e a impressão que você tem é que tem que acabar logo o teu passeio porque logo vem outro grupo.
O lugar é lindo, mas pela quantidade de dinheiro que se ganha ali acho um roubo e, por ter visitado as ruínas astecas e maias no México, os incas deixaram um pouco a desejar. Vale pela beleza natural, pela história realmente precisaria um investimento maior.

Peru – 3º dia: Vale Sagrado dos Incas

Fomos fazer nosso primeiro passeio pelas terras Incas. O Peru não possui muita estrutura para turismo, e os passeios devem ser feitos contratando o serviço de agências, não tem como fazer certos passeios por conta própria.
Para este primeiro passeio fomos ao Vale Sagrado Inca e aqui vai a primeira dica, se você vai nos períodos de chuva (dezembro a abril) leve uma capa-de-chuva daqui, aquelas de R$ 1,99 são muito melhores que as de lá.
Fomos a Pisac, Ollantaytambo (na foto) e Chinchero onde acompanhamos alguns descendentes incas na preparação da lã de alpaca para tecer.
O passeio incluía o almoço típico em Urubamba, que por sinal foi muito bom.
Não gosto destes passeios com agências, pois você fica na dependência dos horários dos outros: Saímos do hotel às 8h10 e só fomos pegar os últimos passageiros às 9h, chegando em Pisac mais de 10h da manhã.
Além disso, o grupo dispersa muito e as explicações dos guias são muito simples. Como comentei com uma amiga, falta uma explicação com mais informações para que o passeio seja melhor.
Entretanto, o Vale Sagrado merece a visita, as paisagens são lindas e mesmo estando em altitude elevada a parte mais cansativa é subir no tempo do Sol, onde foi tirada a foto.