Arquivo da categoria: Ciência

Vídeo

Acredite no conhecimento

Vídeo antigo, mas que vale a pena assistir sempre.

Anúncios

Que água devo tomar?

Estive pensando sobre isso estes dias, com a correria da mudança, planejar coisas para casa nova são essenciais e uma delas, que eu não havia me deparado é com relação à qualidade da água e muito menos, que os vendedores não sabem o que significa água mineral, por exemplo.

A primeira informação que as pessoas precisam saber é que água mineral é aquela que sai da fonte com os minerais essenciais mínimos, como sódio, cálcio e sulfato e que não pode passar por nenhum tipo de tratamento antes do envase, conforme o serviço geológico do Brasil. Assim, se há uma pequena quantidade de coliformes fecais ela é tolerada.

A água das empresas de tratamento de água e esgoto, por outo lado, são obrigados a ter todo um sistema de tratamento que elimine todos os coliformes fecais e demais poluentes, numa qualidade não encontrada em nenhuma água mineral.

Assim, na teoria a água que chega em nossa torneira é mais limpa que qualquer água vendida engarrafada, isso ó não acontece porque os sistemas de distribuição de águas não são limpos com frequência e, também, nossas caixas d’água não são devidamente higienizadas, assim, a recomendação de um filtro de carvão para resolver este problema.

Agora que já sei a diferença entre as águas, vamos para mais detalhes químicos: a água mineral contém, em alguns casos, excesso de sódio e de potássio, principalmente por que o Brasil é um país de solo antigo, com isso, os minerais são facilmente dissolvidos e levados para os reservatórios de água mineral. Em muitos casos, esses suplementos oferecidos pela água são importantes, pois minerais constituem parte do nosso corpo, como ossos e sangue, porém, o cálcio em excesso causa pedras nos rins e o sódio, pressão alta, apenas para citar dois exemplos. Assim algumas pessoas deveriam evitar beber água mineral, principalmente de fontes da região de Minas Gerais, Pará e Rio Grande do Sul pela elevada concentração de minerais.

A água da empresa distribuidora estadual ainda é obrigada a adicionar flúor na água, essencial para controle da cárie, dessa forma, decidi que na minha casa nova, colocarei um sistema de filtração adaptada em uma torneira (foto abaixo), mas a dica que eu deixo para a maioria das pessoas é a compra de um filtro de barro, muito útil na maioria das casas de avós e que me remetem a minha infância (foto abaixo).

Imagem           Imagem

Gênio Obsessivo – fragmento do livro

Estava lendo um fragmento do livro para incluir no livro que estou escrevendo, resolvi postar aqui, pois se trata de uma das obras da Marie Curie que eu mais gosto.

Passar o bastão

            […] Em 1904, o assistente de Thomas Edison morreu envenenado por radiação, enquanto tentava desenvolver uma lâmpada de raios X. Naquela época, os Curie sabiam que os raios X eram bem menos perigosos do que os raios de rádio.

No instituto Kaiser Wilhelm, Lise Meitner isolou seu laboratório com chumbo e alertou sobre os perigos da exposição a substâncias radioativas. Numa forma primitiva de proteção, Meitner exigia frequentes lavadas de mãos e colocava papel higiênico junto ás maçanetas para serem usados quando fossem abertas ou fechadas as portas. As salas de conferência disponham de cadeiras escuras e claras: as claras para quem trabalhasse com substâncias radioativas fracas e as escuras para quem estudasse materiais radioativos mais fortes. Meitner instalou ventiladores e coifas sobre as mesas de trabalho para remover a fumaça e protegia materiais radioativos em caixas de chumbo. Ela exigia que sua equipe usasse fórceps ao lidar com materiais radioativos. Num exemplo de “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, Marie também instalou muitas dessas proteções, mas tanto ela quanto Irène costumavam ignorá-las. Elas usavam as mãos nuas em experimentos e, o que é chocante, com frequência transferiam rádio e polônio de um recipiente para outro, sugando essas substâncias com uma pipeta. Com o passar dos anos, mesmo com a piora de saúde, elas continuaram trabalhando desprotegidas.

Durante a Primeira Guerra Mundial, quando trabalharam em vários hospitais de campanha, tanto a mãe quanto a filha se expuseram a doses maciças de raios X e gás radônio. Em 1921, Marie Curie escreveu em Radiologia e a guerra que a radiodermatite poderia levar a morte. Ela pouco ligou  para sua própria descoberta. […]

[…] dois engenheiros ex-alunos de Marie morreram após preparar soluções industriais de tório X. Outro teve os dedos amputados, depois a mão, depois o braço. Em seguida, ficou cego. Soddy acusava o rádio de tê-lo tornado estéril.

GOLDSMITH, Barbara. Gênio obsessivo: O mundo interior de Marie Curie. São Paulo: Companhia das Letras. 2006, p. 187-189.

Marie Curie e as mulheres cientistas

No final do ano passado eu tive o prazer de participar de uma das conferências em homenagem ao ano internacional da Química. Foi no auditório da FAPESP no mês de novembro. Acredito que foi uma das melhores formações que participei em 2011.
No vídeo há uma pequena parte das falas dos palestrantes, vale a pena assistir.

Pixels: Curta Metragem

Eu aprendi muitas coisas na Europa, pois eu fui em todos os museus de ciências que se encaixaram no meu roteiro. Em um dos museus, o da Ciência e da Indústria, eu assisti um curta-metragem chamado Pixels, de Patrick Jean, que mostra os nossos heróis do Video Game da década de 80 transformando o mundo em 8 bits.

Domingo de ciência em Amsterdam

O dia hoje começou bonito, depois de uma chuva da madrugada, o sol despontou às 8h30. Saí caminhar para tomar um café da manhã holandês, mas decidi fazê-lo no Nemo.
O Nemo é um museu de ciência interativo em forma de navio, mesmo que você não vá entrar no museu, ele vale uma visita, a vista do café, no topo, é uma das melhores de Amsterdam, subir lá não custa nada.
O museu estaca muito cheio de famílias com muitos filhos pequenos. O que eu gostei é que essa interatividade que ele propõem vai além das ciências naturais, há experimentos de antropologia, sociologia, sexualidade, história etc., três coisas me chamaram muita atenção: a primeira está na foto, a discussão dos padrões normalmente aceitos; a segunda foi a parte do cérebro, mostrado não só o lado orgânico, mas o cultural e o psicológico; e terceira, a parte de sexualidade para adolescentes, onde destaco uma frase “Você quer curar sua heterossexualiade? Então a homossexualidade também não precisa ser curada.”
Depois, fui almoçar e, em seguida, fui no zoo. Fazia tempo que não ia no zoológico, e lembrei que lá não é um lugar legal, os bichos estão presos vivendo num mundi que não é o deles, numa condição não ideal. O de Amsterdam é o mais antigo do mundo, da mesma época da Companhia das Índias Ocidentais (século XVII).
Hoje foi isso, amanhã tem mais.

A Ciência em Oxford

Meu presente by jailsonrp
Meu presente, a photo by jailsonrp on Flickr.

Hoje foi um dois melhores dias desde que estou viajando.
Fui até a cidade de Oxford, conheci os diversos Colleges existente ali, visitei duas igrejas, fui no Museu de História da Ciência, assisti uma aula sobre os pesos atômicos dos elementos, a dificuldade de se ter um padrão no século XVIII e os erros nas fórmulas.
Depois fui a um Pub Irlandês para almoçar e para terminar o dia fui até uma livraria, enquanto não parava a chuva.
Na livraria eu fiquei espantado com o baixo preço dos livros. O que eu me dei de presente, que está na foto deste post, custou £20,00, ou seja, R$ 50,00 cotação do dia que eu comprei as libras.
Fico indignado com os preços de livros no Brasil, não poderia ser tão caso assim. Ainda quero fazer uma viagem só para conhecer os livros do mundo.