A síntese da amônia, a guerra química e Clara Immerwahr

O nitrogênio é um elemento essencial aos seres vivos, sendo encontrado em todas as proteínas, ele participa da formação dos aminoácidos. Esse elemento compõem aproximadamente 78% da atmosfera na forma de uma molécula diatômica N2, um gás muito inerte e de difícil assimilação pelos organismos pluricelulares.
Algumas bactérias do gênero Rhizobium realizam a chamada fixação do nitrogênio, porém, é um processo que necessita da simbiose com algumas leguminosas (feijão, soja, ervilha, entre outras). Neste processo e em processos subsequentes, que fazem parte do ciclo do nitrogênio, o nitrogênio atmosférico pode ser convertido em nitritos, nitratos e amônia que podem ser absorvidos por outras plantas e, dessa forma, usados na síntese de aminoácidos.
Na tentativa de fixar o nitrogênio, dois químicos alemães, Fritz Haber e Carl Bosch desenvolveram um processo de síntese da amônia (NH3), chamado de Haber-Bosch, reagindo nitrogênio e hidrogênio diretamente, usando um catalisador, alta pressão e alta temperatura. Em 1910 esse processo foi patenteado pelos químicos e passou a ser usado então para suprir as necessidades alemãs de amônia para produção de ácido nítrico e, consequentemente, explosivos.
O Chile era o maior exportador de nitratos do mundo no início do século XX, muitos países compravam esse nitrato para produção de fertilizantes em locais que não eram plantadas leguminosas, porém, a Alemanha, já nas mãos do partido nazista estava produzindo explosivos em larga escala. Todas as pesquisas de Haber estavam direcionadas a uma autossuficiência em nitratos para que o país não sofresse uma pressão internacional e um bloqueio do nitrato chileno.
O desenvolvimento do processo Esse processo teve a ajuda da esposa de Fritz, Clara Immerwahr, a primeira mulher a conseguir o título de Doutora em Química na Alemanha. Uma das mulheres mais importantes para a história da Química, ela ficou muito insatisfeita com o marido pelo uso dado à amônia, pois, a sua maior motivação era usar a amônia para produção de fertilizantes e aumentar a produção mundial de alimentos.
Em 1914, com o início da Primeira Guerra Mundial, Fritz Haber foi nomeado oficial do exército alemão, com a missão de desenvolver uma arma química que pudesse dar maiores chances aos alemães neste conflito. Clara se opôs a todos os trabalhos do marido, depois disso. Mesmo assim ele desenvolveu certos gases para uso militar, porém, o primeiro gás usado foi o cloro em 22 de abril de 1915 matando 5 000 aliados na batalha de Ypres na Bélgica. Haber foi então eleito herói nacional, enquanto Clara ficou mais descontente ainda.
Após uma discussão com o marido, ele a chamou de traidora da pátria alemã e foi comemorar a vitória da batalha de Yprea. Na madrugada de 2 de maio de 1915, ela dá um tiro no próprio peito nos jardins da casa dos Haber, sangrando até morrer. Seu filho Hermann Haber encontrou a mãe logo no início da manhã e logo depois a carta que ela deixou mostrando sua posição contra o uso de armas químicas na guerra.
Essa carta nunca foi destruída por Fritz Haber, que tratou de encobrir a autópsia do corpo da esposa e também proibiu, graças a sua influência junto ao partido nazista, a publicação de qualquer notícia sobre a morte de clara nos jornais alemães.
Inconformado com as atitudes do pai, Hermann muda-se posteriormente para os Estados Unidos, onde divulga as ideias da mãe e posição dela com relação ao uso de armas de destruição em massa.
Haber ganha o Prêmio Nobel de Química pela síntese da amônia em 1918, o primeiro prêmio contestado pela comunidade científica internacional.

Anúncios

Uma resposta para “A síntese da amônia, a guerra química e Clara Immerwahr

  1. Que legal. A gente estuda história por anos, mas há sempre uma coisa legal, curiosa que os livros deixam “pra lá”. O blog faz jus ao nome. Parabéns, Jailson!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s